O papel do Elo social na redução da criminalidade em Alagoas

Por comportamento criminal, entendem-se os comportamentos que refletem o desrespeito pelas normas da comunidade relacionadas com a vida e a propriedade privada, e que se manifestam em atividades que envolvem agressão, roubo, desonestidade e destruição de propriedade alheias e, neste sentido, pode apresentar diferentes manifestações assim como também pode ter sua origem em diversas causas.


Foto: GazetaWeb

A violência como fenômeno complexo, multifacetário e resultante de múltiplas determinações estão intimamente ligados a processos sociais que se assentam, em última análise, numa estrutura social desigual e injusta. Como déficit na estrutura está a desigualdade social de acesso ao mercado de trabalho e ao consumo de bens essenciais à vida; tomando o contexto cultural é possível configurarmos a violência doméstica, a agressão entre cônjuges como foco do problema e; por último, a violência que caracterizamos como delinquência (crimes contra os cidadão e ao patrimônio), incluindo as disputas entre criminosos ou entre estes e o aparato policial.

No ano de 2018, o levantamento do Atlas da Violência do Fórum Brasileiro de Segurança Pública apontou Alagoas como o 5° estado com maior taxa de homicídios, tendo Maceió como a 9° cidade mais violenta do país no ranking. De janeiro a setembro de 2018 foram registradas 1075 mortes por homicídio doloso, lesão corporal seguida de morte de latrocínio em Alagoas. Além destes números, houveram mortes não registradas no Atlas advindas de confrontos com a polícia.

Um professor de Ciências Políticas da Universidade Federal de Alagoas, em entrevista sobre o assunto, explicou que a questão da violência no estado se dá de forma política. “O perfil do ‘algoz em Alagoas, é muito parecido: são jovens negros, pobres, pouco escolarizados e da periferia da cidade, matando jovens com perfil socioeconômico muito semelhante. Eu acho que está muito mais relacionado ao fenômeno da desorganização social e à falta de planejamento urbano, e conseqüentemente falta de gestão política do estado nesses territórios, do que necessariamente de uma cultura de violência”, explica o professor.


Foto: Reprodução/TV Gazeta

A violência como fenômeno complexo, multifacetário e resultante de múltiplas determinações estão intimamente ligados a processos sociais que se assentam, em última análise, numa estrutura social desigual e injusta. Como déficit na estrutura está a desigualdade social de acesso ao mercado de trabalho e ao consumo de bens essenciais à vida; tomando o contexto cultural é possível configurarmos a violência doméstica, a agressão entre cônjuges como foco do problema e; por último, a violência que caracterizamos como delinquência (crimes contra os cidadão e ao patrimônio), incluindo as disputas entre criminosos ou entre estes e o aparato policial.

É importante ressaltar o papel essencial da família para um indivíduo que se encontra em vulnerabilidade social, seja no envolvimento com drogas ilícitas ou crimes maiores como homicídios. A família passa por grande tensão e estresse ao se deparar com tais situações que as mantém desconfortáveis perante a sociedade. Alguns dos indivíduos que fogem as regras, leis e morais sociais abandonam suas casas e famílias, são presos, vão morar nas ruas, de um modo ou de outro quebram qualquer laço social com seus familiares e sociedade como um todo.

É notório que se na estrutura familiar houver um equilíbrio, se esta funcionar de modo adequado aos padrões sociais, proporcionando aos seus, a moral, a ética, o respeito, as regras e valores do convívio em sociedade, haverá uma considerável queda nos índices de criminalidade.

O Elo social tem, neste contexto, o objetivo e as ferramentas para conscientizar os indivíduos sobre o problema apresentado e trabalhar no auxílio ao fortalecimento dos vínculos familiares, visando não só reestruturação familiar, mas também a reinserção à sociedade, respeitando seus valores éticos e morais.


(Texto elaborado pela Psicóloga Janaína da Silva Santos)

Fontes

http://gazetaweb.globo.com/portal/noticia/2018/06/atlas-da-violencia-coloca-alagoas-como-2-estado-com-maior-taxa-de-homicidios_56417.php

https://www.google.com.br/amp/s/g1.globo.com/google/amp/al/alagoas/noticia/2018/12/21/alagoas-tem-maior-queda-do-pais-no-numero-de-mortes-violentas-de-janeiro-a-setembro-de-2018.ghtml

389 visualizações3 comentários

Diretoria de Implantação de Projeto:

Rua Cecília Bonilha nº 145, São Paulo - Capital - (Sede Própria) Telefone: +55 (11) 3991-9919 Todos os Direitos Reservados​ © 2018

"Movimento Passando o Brasil a Limpo"